O fator RH e a gravidez – Drops das SiS #253/365

Hoje vou falar sobre o fator RH e a gravidez. Esse é o segundo post sobre esse assunto (veja o primeiro aqui ou o vídeo aqui)

No post anterior, expliquei o que acontecia se a mãe for RH negativo e o bebê  positivo. Além disso, que a partir do momento que o sangue do bebê entra em contato com o sangue da mãe, a mãe começa a produzir anticorpos contra o sangue do bebê.

Mas o que acontece?

Nessa primeira gestação, pode haver a sensibilização. Ou seja, os anticorpos vão permanecer para sempre na mãe.

Na hora que o bebê nasce, é realizado o exame de tipagem para determinar o RH do bebê, os enfermeiros coletam o sangue do bebê direto do cordão umbilical.

Assim, se o bebê for RH positivo, a mãe vai receber uma injeção de imunoglobulina anti-D, chamada “vacina” anti-D; que é um anticorpo pronto para neutralizar esse RH e a mãe não produzir anticorpos contra o sangue do bebê.

A mãe precisa receber essa vacina, até 72 horas após o nascimento, porque aí não existirá nem essa sensibilização, se descobrirem essa incompatibilidade na hora do nascimento.

E como o sangue do bebê entra em contato com o sangue da mãe?

Existem vários fatores, como uma gravidez ectópica, que é uma gravidez fora do útero, na tuba ou no colo do útero, ou em algum outro lugar.

Pode entrar também, quando a mãe tem sangramento vaginal após a 12ª semana de gravidez. Ou quando a mãe faz exames mais invasivos, como a amniocentese. Se ela sofre algum impacto na barriga, ou quanto tem algum sangramento e durante parto. Durante o parto, o sangue da mãe e o sangue do bebê, entram em contato principalmente se for um parto cesárea.

Camila é enfermeira neonatal e fotógrafa de recém-nascidos do estúdio SiS foto e design.

 (11) 99496-6312

 Quer ver mais informações sobre nossos trabalhos? Então acesse:

Ensaio Newborn

Ensaio Gestante

Ensaio Infantil

No Comments

Post A Comment

The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

plugins premium WordPress
💬 Precisa de ajuda?